Dr. Carlos Alberto Politano

Comissão Nacional Especializada em Anticoncepção

 

 

A adolescência é um período de mudanças físicas e psicológicas que geram angústia e instabilidade emocional. A puberdade é a representação fisiológica desta fase, onde surge por ação hormonal a telarca (broto mamário entre 8 e 13 anos) que é o primeiro sinal da puberdade feminina, seguido do surgimento de pelos pubianos (pubarca) e axilares, e posteriormente a primeira menstruação (menarca). A primeira menstruação ocorre de dois a cinco anos após a telarca, e é aguardado com muita ansiedade pelas adolescentes, que consideram um momento importante de suas vidas cercada de tabus e com uma representação simbólica de maturidade.

Essa fase é marcada por mudança de comportamento junto aos pais, intenso relacionamento com amigos do mesmo sexo, aumento da necessidade de privacidade e falta de controle em relação aos impulsos.

Os primeiros ciclos menstruais costumam ser irregulares, frequentemente anovulatórios (sem ovulação) e mais prolongados (o intervalo entre uma menstruação e outra é longo), por imaturidade das estruturas (hipotálamo, hipófise e ovários) que são responsáveis pela liberação e produção dos hormônios femininos.

A menstruação é a descamação do endométrio (tecido que reveste a cavidade uterina) que ocorre quando a ovulação não é seguida de gestação. Acontece aproximadamente a cada 28 dias, com variação de 21 a 45 dias. A idade média de início da menarca é de 12,4 anos. A maioria dos períodos menstruais dura entre 3 e 7 dias, e as menstruações que duram mais de 10 dias são consideradas anormais. 

 

O ciclo menstrual, período que vai do primeiro dia da menstruação até o dia que antecede o início da próxima menstruação, pode ser dividido em 3 fases:

Fase folicular – Os primeiros 10 a 14 dias do ciclo quando ocorre uma sequência de produção de hormônios que culminam com a ovulação;

Ovulação – Ocorre em média 10 a 12h após o pico do hormônio luteinizante (LH) e 24 a 36h depois do pico de estradiol (hormônio produzido pelo ovário), quando o óvulo é liberado e será captado pela trompa, aguardando ser fertilizado pelo espermatozoide;

Fase lútea – Durante os primeiros dias após a ovulação, ocorre uma transformação celular na região onde estava o óvulo e forma o corpo lúteo, que é a estrutura que mantém a gravidez nas primeiras semanas. Não ocorrendo a gravidez ele atrofia e começa um novo ciclo.

A menstruação ocorre durante a vida reprodutiva da mulher e é um sangramento vaginal cíclico de início na menarca (primeira menstruação) e término na menopausa. Nos primeiros anos após a menarca e nos anos que antecedem a menopausa, os ciclos são frequentemente irregulares.

A regularidade dos ciclos menstruais depende do adequado funcionamento e interação de três estruturas chamadas de eixo hipotálamo-hipófise-ovariano (HHO), que na vida fetal encontra-se ativo, para na infância entrar em latência e retornar a forma ativa na puberdade. 

Os ciclos menstruais são frequentemente irregulares durante a adolescência, particularmente nos 3 primeiros ciclos. A imaturidade do eixo HHO durante os primeiros anos após a menarca geralmente resulta em anovulação e os ciclos podem ser um pouco longos, no entanto 90% deles estarão entre 21 a 45 dias podendo menos frequentemente ocorrer ciclos de 20 dias. 

Apesar de ter sido demonstrado que essa irregularidade é frequente, não afasta a necessidade de valorizá-la, pois existem várias doenças que alteram a liberação hormonal e podem estar associadas às irregularidades menstruais, pois apesar de intervalos longos serem comuns, por anovulação, é estatisticamente incomum que as meninas permaneçam amenorreicas (sem menstruação) por mais de 90 dias.  

Algumas condições médicas podem causar sangramento uterino anormal, caracterizado por duração imprevisível e fluxo menstrual variável, tais como endocrinopatias (síndrome dos ovários policísticos e doenças da tireoide), além de stress mental e distúrbios alimentares.

 

O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas recomenda: 

  1. Assim que ocorre a menarca, a menina deve passar por um médico ginecologista.
  2. Os médicos devem educar as meninas e seus responsáveis (por exemplo, pais) sobre o que esperar de um primeiro período menstrual e o intervalo para duração normal do ciclo e das menstruações subsequentes.
  3. Depois que as meninas começam a menstruar, os médicos devem solicitar a cada atendimento preventivo ou visita abrangente o primeiro e último dia do período menstrual e o padrão da menstruação.  
  4. A identificação e padrões menstruais anormais na adolescência pode melhorar a identificação precoce de possíveis problemas de saúde para a vida adulta.
  5. É importante que os médicos compreendam os padrões menstruais de meninas adolescentes, a capacidade de diferenciar entre menstruação normal e anormal e a habilidade de saber como avaliar a paciente adolescente.